A história de como apenas uma frase ajudou a salvar o casamento.

A vida familiar nem sempre é feliz e serena. Por vezes deparamo-nos com situações que põe á prova por completo as relações e os laços que estabelecemos uns com os outros.

Richard Paul Evans tem 53 anos, 5 filhos e é escritor. Envolto em fama e sucesso tinha todos os padrões consideráveis normais e felizes para um homem. Mas na realidade tal não acontecia, isto porque, durante anos sofreu com problemas conjugais.

Passado um tempo, Evans, tornou publica a sua história pessoal e sobre a sua tentativa de salvar o seu casamento.

 

“Minha filha mais velha, Jenna, me disse recentemente, ‘Meu maior medo quando era criança era que você e a mamãe se divorciassem. Depois, quando eu tinha 12 anos, eu decidi que, como vocês brigavam tanto, talvez fosse melhor que se separassem.’ Depois ela disse, ‘Eu fico feliz que vocês tenham se resolvido.’ Por anos, minha mulher, Keri, e eu tivemos problemas.”

Olhando para trás, eu não sei exatamente o que nos uniu, mas as nossas personalidades não combinavam muito. E quanto mais tempo ficávamos casados, mais extremas essas diferenças pareciam. Ganhar ‘fama e fortuna’ não facilitou o nosso casamento. Na verdade, isto exacerbou os nossos problemas. A tensão entre nós ficou tão ruim, que viajar para promover os livros virou um alívio, mas parecia que sempre pagávamos por isso na volta, no entanto. Nossas brigas ficaram tão constantes que era difícil até de imaginar um relacionamento tranquilo. Nós nos tornamos perpetuamente defensivos, construindo fortalezas emocionais em volta dos nossos corações. Nós estávamos à beira do divórcio e discutimos isso mais de uma vez.

Eu estava em turnê com o livro quando as coisas chegaram no limite. Nós tínhamos acabado de ter outra grande briga por telefone e Keri havia desligado na minha cara. Eu estava sozinho, me sentindo solitário, frustrado e com raiva. Eu havia atingido o meu limite. Foi quando eu me voltei para Deus. Ou me voltei contra Deus. Eu não sei se você pode chamar isso de prece, talvez gritar com Deus não seja rezar, talvez seja, mas o quer que eu estivesse fazendo, eu nunca esquecerei. Eu estava no chuveiro do hotel Buckhead, Atlanta Ritz-Carlton gritando com Deus que casamento era errado e que eu não podia mais continuar. Por mais que eu odiasse a ideia do divórcio, a dor de permanecermos juntos era demasiada. Eu também estava confuso. Eu não conseguia entender porque o casamento com a Keri era tão difícil. No fundo eu sabia que a Keri era uma boa pessoa. E eu era uma boa pessoa. Então, por que não conseguíamos nos entender? Por que eu havia me casado com alguém tão diferente de mim?  Por que ela não podia mudar? Finalmente, rouco e destruído, eu me sentei no chuveiro e comecei a chorar.”

No fundo do meu desespero, uma forte inspiração veio à mim. Você não pode mudá-la, Rick. Você só pode mudar a você mesmo. Naquele momento, eu comecei a rezar. Se eu não posso mudá-la, Deus, então me mude. Eu rezei até tarde da noite. Eu rezei no dia seguinte no vôo para casa. Eu rezei enquanto entrava pela porta e ia ao encontro de uma mulher fria, que mal me notava. Naquela noite, enquanto estávamos deitados em nossa cama, a centímetros um do outro, mas a quilômetros de distância, a inspiração veio. Eu soube o que tinha que fazer.

Na manhã seguinte, eu rolei na cama pra perto de Keri e perguntei, ‘O que eu posso fazer para que o seu dia seja melhor?’

Keri me olhou com raiva. ‘O que?’

‘O que eu posso fazer para que o seu dia seja melhor?’

‘Você não pode fazer nada’, ela disse. ‘Por que você está perguntando isso?’

‘Porque estou sendo sincero’, eu disse, ‘Eu só quero saber o que posso fazer para que o seu dia seja melhor.’

Ela me olhou cinicamente. ‘Você quer fazer alguma coisa? Vai limpar a cozinha.’

Ela esperava que eu ficasse com raiva. Ao invés disso, eu assenti. ‘Está bem.’ Eu me levantei e limpei a cozinha.”

“No dia seguinte eu perguntei a mesma coisa. ‘O que eu posso fazer para que o seu dia seja melhor?’

Os olhos dela se estreitaram. ‘Limpe a garagem.’

Eu respirei fundo. Eu já tinha tido um dia cheio e eu sabia que ela havia feito este pedido apesar disso. Eu fiquei tentado a explodir com ela. Ao invés disso, eu disse. ‘Ok.’ Eu me levantei, e pelas duas horas seguintes eu limpei a garagem. Keri não sabia o que pensar.

A manhã seguinte veio. ‘O que eu posso fazer para que o seu dia seja melhor?’

‘Nada.’, Ela disse. Você não pode fazer nada. Por favor, pare de dizer isso.’

‘Desculpa’, eu disse. ‘Mas eu não posso. Eu fiz um acordo comigo mesmo. O que eu posso fazer para que o seu dia seja melhor?’

’Por que você está fazendo isso?’

‘Por que eu me importo com você.’, Eu disse. ‘E com o nosso casamento.’

Na manhã seguinte eu perguntei novamente. E na outra, e na outra. Depois, durante a segunda semana, aconteceu um milagre. Quando eu fiz a pergunta, os olhos de Keri se encheram de lágrimas. Depois ela começou a chorar muito. Quando ela conseguiu falar, ela disse, ‘Por favor, pare de me perguntar isso. Você não é o problema. Eu sou. Eu sou difícil de conviver, eu não sei porque você está comigo.’

Gentilmente, eu levantei seu queixo até ela me olhar nos olhos. ‘É porque eu te amo.’, eu disse. ‘O que eu posso fazer para que o seu dia seja melhor?’

‘Eu que deveria te perguntar isso.’

‘Você deveria.’, eu disse. ‘Mas não agora. Agora eu preciso ser a mudança. Você precisa saber o quanto significa pra mim.’

Ela colocou a cabeça sobre o meu peito. ‘Me desculpa por eu ter sido tão má.’

‘Eu te amo’, eu disse.

‘Eu te amo’, ela respondeu.

‘O que eu posso fazer para que o seu dia seja melhor?’

Ela me olhou com doçura. ‘Será que podemos passar algum tempo juntos, talvez?’

Eu sorri. ‘Eu adoraria.’

Eu continuei perguntando por mais de um mês. E as coisas mudaram. As brigas pararam. Depois, Keri começou a perguntar. ‘O que você precisa de mim? Como eu posso ser uma esposa melhor?’

As barreiras entre nós caíram. Nós começamos a ter discussões significativas sobre o que queríamos da vida e como poderíamos nos fazer felizes. Não, nós não resolvemos os nossos problemas. Eu não posso nem dizer que nós nunca mais brigamos de novo. Mas a natureza das nossas brigas mudou. Não só elas estavam ficando cada vez mais raras, como perderam a energia que tinham antes. Nós as privamos de oxigênio. Já não estava mais em nós querermos machucar um ao outro.

Agora, Keri e eu estamos casados há mais de trinta anos. Eu não apenas amo a minha mulher, eu gosto dela. Eu gosto de estar com ela. Eu a desejo. Eu preciso dela. Muitas de nossas diferenças se tornaram força e os outros não importam muito. Nós aprendemos a cuidar um do outro e, mais importante, nós temos vontade de fazer isso.

Casamento é difícil. Mas ser pai e mãe, manter a forma, escrever livros, e todas as outras coisas que importam e que valem a pena em minha vida também são. Ter uma parceira de vida é um presente incrível. Eu também aprendi que a instituição do casamento pode ajudar a nos curar de nossas partes menos bonitas. Nós todos as temos.

Com o tempo, eu aprendi que a nossa experiência foi uma ilustração de uma lição muito maior sobre o casamento. A pergunta que todo mundo em um relacionamento sério deveria fazer à pessoa amada é: ‘O que eu posso fazer para que o seu dia seja melhor?’ Isso é amor. Livros de romance (e eu já escrevi alguns) são sobre o desejo e o felizes para sempre, mas o felizes para sempre não vem do desejo, pelo menos não o retratado na maioria dos romances. O verdadeiro amor não é desejar alguém, mas realmente desejar a felicidade dela, às vezes até às custas da nossa própria felicidade. Amor verdadeiro não é fazer da outra pessoa a nossa cópia. É expandir a nossa capacidade de tolerância e cuidado, é buscar ativamente o bem estar do outro. Todo o resto é simplesmente uma charada de interesse próprio.

Eu não estou dizendo que o que aconteceu com Keri e eu irá funcionar para todo mundo. Eu não estou nem mesmo dizendo que todos os casamentos devem ser salvos. Mas para mim, eu sou incrivelmente grato pela inspiração que me veio naquele dia há tanto tempo. Eu sou grato por minha família ainda estar intacta e eu ainda ter a minha esposa, minha melhor amiga, na cama junto à mim quando acordo de manhã. E eu sou grato porque, até mesmo agora, décadas depois, de vez em quando, um de nós ainda role na cama e diga, ‘O que eu posso fazer para que o seu dia seja melhor?’ Estar em qualquer lado desta pergunta é algo pelo qual vale a pena acordar.”

É maravilhoso que Keri e Richard tenham encontrado o caminho para se unirem novamente. Que este final feliz possa encorajar as pessoas ao redor do mundo à reexaminarem um relacionamento que esteja passando por dificuldades.”

 

fonte: brightside


Compartilhe no Facebook